segunda-feira, 15 de julho de 2013

"escuta aqui, sua maluca"

"metade exilada de mim, leva os teus sinais.
 é assim como a fisgada
num membro que já perdi"
...mas a ligação não se completa. Fica caindo na caixa postal e às vezes quando agarro o adoçante e sinto a doçura corroendo os dedos amargos... tento chupar a ponta dos dedos pra ver se cura, pra ver se passa. Eu sabia que isso provavelmente  ocorreria. Mas não me importa você estar nos Alpes Suíços! sei lá, ando muito minha ultimamente, pra aprender que ter saudades é algo saudável. É que gostei muito de ler-te de novo, gostei tanto que respondi só pra te provocar. Só pra você ver que eu tava de sacanagem, porque "você é tão sacana que me cansa".

Eu sou tão sacana que me cansa... é verdade. Mas por que estão todos vocês voltando pra dentro de mim? Desculpe-me, na verdade, não é como se vocês tivessem ido alguma vez. Eu que mandei vocês embora. Acho mesmo que quando me esqueci de vocês, foram sentindo a perda da locação, voltaram pra reivindicar propriedade. São mesmo uns filhos da puta, sabia? Só que eu tanto aprendi a ser. Eu me lembro de você dizer que eu tinha potencial de "biggest bitch of the fucking century" ou era "the biggest bitch of the fucking city", me lembro também daquela vez que escrevi de vocês e sentiu-se eternamente ultrajado, pois o Charles sempre foi mais legal que o Antoine. Embora o Antoine fosse baseado no David Thewlis que é, obviamente, mais bonito que o Bukowski e que pegava a Anna Faris. Mas você sempre quis ser o Gary Oldman, mas esse tinha potencial de "the best fuck ever" e desculpa, mas eu não tava disposta a arriscar fuck nenhuma contigo. Mas quem sabe se você tentar de novo, mas antes, atende a merda do telefone!

Eu descobri o Miguel Fonseca...
e você tinha razão...

tô te esperando pra discutir sobre a vã filosofia,
daddy.

Com amor, 
mommy.

Nenhum comentário:

Postar um comentário