sábado, 10 de agosto de 2013

beijo mofado

me sinto definhando por dentro
ao lado de um copo de requeijão
de conhaque

mal posso falar
não há música pra ouvir
não há com quem eu possa conversar
silêncio urbano
solidão absurda

a bebida arde
entra no âmago instantaneamente
é horrível
evidencia o vazio exposto

me sinto como bukowski
tão menos donzela ainda que ele
pronta pra perder as contas
as virgindades
os medos
as caras de vez
me encontrar através de me perder
não deixar que me descubram
mas o vazio come por dentro
não é só o conhaque
é a merda da minha vida
que quando eu disse pra que tudo se fodesse
fodi-me inteira

e nem ao menos beijei o rapaz

Nenhum comentário:

Postar um comentário