sexta-feira, 14 de março de 2014

irreversível

eu tenho um espetáculo pra te apresentar
eu abro as cortinas pra te ver sorrir
e pra te ver chorar, embora você não chore
e embora pouco sorria

eu tenho um espetáculo
com um lindo coro
pra te cantar
pra te mostrar que ainda sou sua
inteira ou pela metade
indiferente ou irreversível

o palco do espetáculo é o mundo
quando com você eu esbarrar,
dentre as cortinas do mar nas costas
de uma praia insossa,
e a gente se encontrar sem graça,
vai ser uma vibe linda, você vai gostar

você vai gostar de ver meus olhos
mais uma vez
minha boca
meu silêncio
vai gostar de me tocar
e de conversar sobre as constelações
vai gostar de me amar
e não vai ter medo de mim

dessa vez, seremos o fim
que nunca devia ter tido um começo.

2 comentários: